Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Avatar (2009)

Ficha Técnica

Título Original: Avatar
Título Traduzido: Avatar
Ano: 2009
Argumento: James Cameron
Realização: James Cameron
Elenco: Sam Worthington, Zoe Saldana, Sigourney Weaver, Stephen Lang, Michelle Rodriguez, Giovanni Ribisi, Joel Moore.
Estreia nos EUA: 16 de Dezembro de 2009
Estreia em Portugal: 17 de Dezembro de 2009

 

Rotten Tomatoes: 82%
Metacritic: 84 / 100
IMDB: 8.7 / 10

 

James Cameron, realizador de nome que se pode dar ao luxo de passar 12 anos sem fazer um filme, volta com um dos filmes mais esperados dos últimos tempos. Aliás, a última vez que vi um filme com tanto hype foi quando o The Dark Knight saiu. Um sucesso (mais ou menos) na crítica e nas salas de cinema, Avatar tem sido chamado "o filme que vai acabar com todos os filmes". O The Hollywood Reporter disse "A fully believable, flesh-and-blood romance is the beating heart of Avatar". O melhor filme da década. O melhor filme nos últimos 30 anos. E por aí adiante.

Avatar é um bom filme. Um filme engraçado. Tem pontos fortes e pontos fracos. Nunca poderá ser chamado de obra prima, mas é bom filme. Agradável, nada de muito poderoso. Épico, mas sem o charme ou a mitologia intrincada da trilogia The Lord of the Rings e sem os conflitos morais de The Dark Knight.

Segundo a opinião geral, o maior trunfo do filme foi o 3D. Eu nunca foi muito com o 3D. Algumas amigas minhas não gostam porque lhes faz doer a cabeça ou provoca enchaquecas. Eu acho que é simplesmente um incómodo. No entanto, diziam que o 3D foi feito para o Avatar e, com isso, construí algumas expectativas. E foi daí que veio a desilusão. Se calhar foi dos óculos que podiam ser maiores. Estava sempre a ver as astes. Se calhar a culpa foi dos cinemas portugueses. Não sei como é na América. Mas fiquei desiludido. O filme tem um visual excelente, algo de fabuloso, mas o 3D não foi nada de transcendente e tenho a certeza que o filme funcionava perfeitamente em 2D. Engraçado? Sim. Mas serviu mais para distrair da história do que propriamente como uma mais-valia.

É nesse visual que o filme se baseia. Em filmes deste género há sempre aquela luta entre a história e os efeitos especiais. Avatar tem excelentes efeitos especiais, tem lutas de encher o olho e cenas de impressionar, mas, quando mais de um terço do filme é passado na guerra entre Avatars e Humanos, a história fica a perder.

Cameron nunca foi um mestre no argumento e Avatar é um perfeito exemplo disso. O filme baseia-se numa colagem de ideias adaptada. Quem diz que Avatar saiu da imaginação de uma criança, tem razão. O guião podia ter mesmo saído da mente de um adolescente. A reciclagem de ideias leva à previsibilidade de cada momento do filme, nunca surpreendendo. Até os grandes conflitos morais levantados pela premissa não são bem explorados em favor da acção e dos "crowd pleasing moments". O resultado é uma história que podia ter sido muito mais e um grupo de personagens, que até foi bem construido, desaproveitado.

Os personagens tinham muito potencial devido ao elenco e, vamos ser sinceros, material não faltava! No entanto, tanto o filme como os personagens não atingem esse potencial. Todos eles são unifacetados, estão de um lado ou de outro, não questionam, não pensam. Os bons são os Avatars e os humanos que ficaram do seu lado, os maus são todos os humanos que foram expulsos de Pandora. Agora eu tenho que acreditar que a humanidade iria exterminar um povo por uma nova espécie de ouro? Não que isso não pudesse acontecer, mas dava jeito ver algumas justificações, alguns conflitos, algumas discussões. Jake Sully, o herói da história, é tão heróico como monótono, sendo previsível e fazendo sempre o correcto. O vilão é um militar muito dado ao culturismo que não tem um pingo de consciência. Nem sinal de um personagem multifacetado!

É por todas estas razões que Avatar não é um excelente filme. É absurdo chamá-lo um dos melhores filmes de sempre, um verdadeiro insulto aos melhores filmes de sempre. Não revoluciona. Avatar é simplesmente um filme engraçado, que tem o seu quê de épico, com um excelente visual, em que o herói triunfa, fica com a rapariga e vivem felizes para sempre. Mas também temos de ver o outro lado, se não concordo com os críticos que veneram o filme, culpados da sua sobrevalorização, também não concordo com aqueles que o detestam. Avatar tem três horas de filme e, durante essas três horas, não me aborreceu, nem sequer bocejei e o acento não ficou desconfortável. Entreteve-me durante a sua longa duração e, mesmo que não vá para casa a pensar na sua história, é um filme divertido. Vale a pena ver.

Já agora, quem acha que o filme vá ganhar o Oscar... não me parece. Terá muita sorte se for nomeado e será uma injustiça se for em vez do District 9. Eu sei, o Titanic era uma história de amor vulgar e lamechas e foi o filme mais visto de todos os tempos ganhando onze Oscars. Apesar disso, gosto de pensar que a Academia aprende com os erros.

 

Tags:

publicado por Ricardo às 21:55
link do post | comentar | favorito

Pesquisa

 
RSS