Quarta-feira, 14 de Maio de 2008

Pushing Daisies: Season 1

Nome original: Pushing Daisies
Nome traduzido: Bem me quer, mal me quer
Temporada:
Episódios: 9
Ano: 2007
Criador: Brian Fuller
Slogan: life. death. and life again.

 

Pushing Daisies, ou Bem me quer, mal me quer em português é uma das novas séries do canal norte-americano ABC. A série conta a história de Ned, um pie maker (fazedor de tartes?), e de Chuck, o  seu amor meio platónico.

 


Ned era um rapaz de nove anos quando descobriu que tinha um dom muito especial. Ele podia ressuscitar os mortos com apenas um simples toque. Mais tarde descobriu que ao deixar uma pessoa viver mais que um minuto, outra teria de morrer. Outro dos senãos é que se Ned toca nessa pessoa outra vez, ela morre, pela segunda vez, e desta vez para sempre.

 

Então, o fazedor de tortas jurou nunca mais ressuscitar ninguém por mais de um minuto. Ainda assim, dava uso ao seu dom para ajudar o detective privado Emerson Cod a apanhar assassinos, recebendo assim metade da recompensa.

 


Um dia, Ned, para infelicidade da sua empregada Olive, ao resolver o caso do assassinato de Chuck, o seu amor de infância, deixa-a viver por mais de um minuto, custando a vida de outra pessoa. Chuck vive com ele desde então, sabendo que, apesar de se amarem, nunca se poderão tocar.

 

 

A série continua com Ned, Chuck, Emerson e, por vezes, Olive a resolver homicídios numa história que mistura mistério, magia, romance, humor negro, animais, paisagens, musicais e, claro, tortas. Muitas tartes!

 

 

Tenho que dizer: esta série é excelente. É irresistível. É impossível deixar de esboçar um sorriso no final de cada episódio. Apesar de ser uma série que lida com assssinatos e temas como a morte, fá-lo de uma maneira tão leve que nos deixa pasmados.

Os actores são todos muito bons, em especial o meu preferido: Chi McBride. Também conhecido pela sua participação em House, interpreta um papel muito mais engraçado, o de Emerson Cod.

 


A parte criativa é a mais contorversa. Adorada por uns, odiada por outros. Usa de tudo: narrador, cores berrantes, sonhos, flashbacks. Tudo! Eu gosto, mas vai haver quem deteste e é compreensível. É uma overdose de cor: amarelo, verde, vermelho, azul, verde, laranja.

A parte sonora, embora passe por vezes despercebida, é muito apelativa. Todas as músicas são originais e compostas por Jim Dooley. Até há musicais! Em perfeito equilíbrio com o visual e a história.

 

 

Para finalizar só encontro estas palavras: quero mais! Adorei o universo, os personagens e, principalmente, a inovação e a lufada de ar fresco trazida por esta série. Vão sair a sorrir de todos os episódios neste conto de fadas forense. Se às vezes não fosse tão chato, tivesse mais episódios e as personagens mais desenvolvidas... Nada que uma segunda temporada completa de 22 episódios não resolva...


***

 

A música desta semana que vem substituir a Live Forever dos Oasis é a Time to Pretend dos MGMT, sugestão do Sr. Luxxx (obrigado pela sugestão). Não deu para pôr o videoclip orginal porque a banda deve ter qualquer coisa contra o código embed. Enfim...

sinto-me: Bem me quer!
Tags:

publicado por Ricardo às 21:53
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De luxxx a 15 de Maio de 2008 às 00:29
Bem... confesso que o Pushing passou-me um pouco ao lado.

Ou melhor, adorei o primeiro episódio. Gostei do segundo. Suportei o terceiro. Desisti após ver o quarto.

Na minha opinião, tem como ponto de partida uma boa ideia, mas que se torna bastante repetitiva em série de televisão.

Caríssimo Senhor Rikardo, muito obrigado por ter aceite a sugestão deste seu amigo.


De Ricardo a 15 de Maio de 2008 às 14:23
É verdade, começa a ficar um pouco repetitivo, mas eu acho as histórias e os casos que eles resolvem tão interessantes que compensa.

Para mim o maior problema é mesmo a falta de profundidade das personagens. Elas precisam e ser mais exploradas. Não sei se a culpa é do número de episódios se dos escritores, mas achei um defeito considerável.

Senhor Luxxx, quando as sugestões são boas, há que as aceitar.

Já ando a ver Skins e estou a adorar! O único problema é que os episódios demoram eternidades a chegar ao meu computador. Já procurei na Fnac, mas os DVD não vêm para cá!


De luxxx a 15 de Maio de 2008 às 16:50
O Skins é uma série magnífica!

Os DVD só mesmo via Amazon.


De blackburn a 15 de Maio de 2008 às 22:46
bem podes ir criticando a serie SUCKS...
Fica bem


De Ricardo a 16 de Maio de 2008 às 16:26
Tu só gostas de séries com muito crime, muitas armas e muito sangue. Não espero que compreendas o encanto desta série! Tem defeitos, mas é muito querida.


De Pipocas e Outras Tretas a 12 de Agosto de 2008 às 18:54
Ainda não vi a primeira temporada toda, mas já é das minhas favoritas. Fica um pouco repetitiva, por vezes, mas tem momentos brilhantes. As personagens são carismáticas e os casos são, regra geral, interessantes e com reviravoltas curiosas. Achei a classificação de 3 estrelas um pouco incoerente com o texto... uma vez que até deste a mesma nota à 3a temporada de "The O.C.". Mas compreendo, são só 9 episódios...


De Ricardo a 1 de Setembro de 2008 às 12:06
Se calhar tens razão. E pensei seriamente em dar um 4*. Mas ficou-me aquele gosto na boca... É um pouco repetitivo e tem defeitos que não podem passar despercebidos. É uma série inovadora, mas são só 9 episódios. Agora OC teve uma temporada com princípio, meio e fim, apesar de ter grandes defeitos são 25 episódios com muito entretenimento.


De Casaleiro a 16 de Novembro de 2008 às 22:40
ADORO PUSHING DAISIES!

3 estrelas? merece mais.
depois de ler a sinopse pensei ser mais uma série forense chata com objectivo de apanhar os mauzões sem contar com as historias de cada personagem,
mas nesta série os crimes é o secundário,
discordo com a profundidade das personagens
até acho que é um dos pontos fortes,
a segunda temporada já anda a circular na net,
em televisões portuguesas, duvido.
aconselho vivamente a ver.
é a historia de amor mais bonita que conheço!

SKINS ! outra série excelente (li os comments xD )
aconselho também a ver
já há duas temporadas
embora seja mais uma daquelas séries que até os pobres são ricos, vale a pena
é divertida e aborda temas interessantes
cai um pouco no estilo do The O.C.
ou se quisermos nacionalizar
Morangos Com Açúcar
mas completamente diferente
porque são a vida de adolescentes completamente diferentes uns dos outros, interpretada por actores com talento e que rondam as idades das personagens,
não corremos o risco de ver actores de 20 e poucos a intrepertar personagens de 16.

*


De Catarina a 5 de Setembro de 2009 às 16:32
Gostei imenso da Critica, está muito parecida com aquilo que eu penso da série!

É pena que tenha sido cancelada por falta de audiência, pode ser que tenhamos o filme. É sem duvida uma série absolutamente deliciosa (não só pelas tartes!).

Catarina


Comentar post

Pesquisa

 
RSS