Terça-feira, 25 de Março de 2008

Licença Para Casar

Imaginem que são cidadãos legais, heterossexuais e que conheceram uma pessoa com a qual pensam querer passar o resto da vossa vida.

Imaginem que são loucos o suficiente para querer casar! Que conseguem aturar a mesma pessoa todos os dias da vossa vida. Agora, imaginem que nesse casamento, vão fazer uma festa.

Calma! Não se precipitem. E não, não vos estou a prevenir em relação a todas as contrariedades do papel consumado por Deus. Estou a prevenir em relação ao fisco.

Se querem festa... vão ter de pegar no bloco de notas e começar a prestar explicações ao vosso melhor amigo (cof, cof): o estado, porque esse "senhor" vai querer saber uma série de coisas.

Os serviços contratados para o casamento, como o restaurante, o fotógrafo e a florista, facturas e recibos, como foram pagos esses serviços, o número de convidados, quem pagou a roupa dos noivos e quanto custou. Já para não falar das prendas...

E se vão oferecer uma prenda é melhor não escolherem o mais baratinho da lista dos noivos... Seria uma vergonha isso ser visto pelos olhos penetrantes dos fiscais.

Cuidado,
mesmo que sejam das poucas pessoas que cumprem aqueles requisitos enunciados no 1º parágrafo, porque a multa não é pequena. E atenção, porque qualquer dia vai ser preciso licença para... casar (o que pensavam que eu iria dizer?).
sinto-me:
Tags:

publicado por Ricardo às 21:23
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De luxxx a 26 de Março de 2008 às 00:29
Casei-me numa manhã de chuva. Sem convidados. Numa conservatória com temperatura quase negativa. Eu e ela. O suficiente para ser a melhor festa do mundo. Muitos anos depois, continuamos casados. Apaixonados. Penso que para sempre.

Sem fisco. Sem estado.



De Ricardo a 26 de Março de 2008 às 01:34
Excelente história! Foi diferente, imaginativo e romântico! Tens de partilhar mais histórias dessas com o pessoal. Consegues bater nos estereótipos.



Comentar post

Pesquisa

 
RSS