Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2007

Uma Coisa Diferente

Eu já tinha preparado um post para hoje. Era sobre um filme, bastante bom por sinal. Depois pensei e disse: "Que se lixe!". Talvez usando vocabulário mais forte... Mas pronto. Decidi fazer uma coisa diferente.

"A famosa e complicada
crise existencial."


O quê? Boa pergunta. Nem eu sei! Para já. Quer dizer, não será esse um dos grandes problemas da humanidade? Não saber o que querer? A humanidade, o mundo, tem imensos problemas. O ser humano também. Não saber o que querer, por exemplo. A famosa e complicada crise existencial. Há muitos problemas na humanidade! Mas como podemos nós ajudar, ou sequer pensar neles, se nós não estamos bem?

"Acho que muitos
simplesmente ligam
o piloto automático
e continuam a viver."


E o que fazemos quando não sabemos o que queremos? É complicado. Eu acho que nós quase sempre sabemos o que queremos lá no fundo. Talvez precisemos é de tempo para pensar. Pior que isso é quando sabemos o que queremos, mas também sabemos que não o vamos ter ou conseguir. E o que fazemos a seguir? Eu não sei o que a maioria das pessoas faz. Acho que muitos simplesmente ligam o piloto automático e continuam a viver. A sobreviver. Chama-se a isso estar morto. Espiritualmente é claro. Eu também faço isso. Faço isso e escrevo, como agora. Sem sentido e sem paciência. Sabem um bom remédio? Ler um livro. Um daqueles absorventes. Assim não pensam em mais nada. Claro que há muitos que não gostam de ler e depois também podem deixar de fazer coisas na vossa vida. Desleixarem-se.

"Oh! Não devia!
Para que foi gastar dinheiro?"

E não é que estamos no Natal? Já lá estamos outra vez naquela bonita época do amor, da paz e da hipocrisia. Sobretudo da última. E porquê? Acho que todos sabemos. Recebemos uma prenda e dizemos "Oh! Não devia! Para que foi gastar dinheiro?" quando sabemos perfeitamente que essa pessoa seria socialmente apedrejada se não o fizesse. Isso é o menos. Aliás, as prendas são mesmo o melhor, apesar do que todos dizem. São sinceras. O resto é ainda mais hipócrita. Aquelas famílias que estão juntinhas no Natal quando os seus elementos passaram o ano nas suas próprias e miseráveis vidinhas. Mais coisas? Bem, o que poderia ser mais hipócrita que o amor?

Não contem com decoração de Natal no Criticando. Detesto isso. Contem com um post no dia de Natal. Isto é, se eu ainda não vos estraguei esse alegre espírito Natalício! Não era essa a intenção. Já agora, Feliz Natal.

Detesto textos mórbidos!
Iac! Que mau!
Não se habituem!
sinto-me: Pensativo. Pensativo demais.
música: Lightouse Family - High
Tags:

publicado por Ricardo às 19:24
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De luxxx a 22 de Dezembro de 2007 às 14:49
Rikardo... anima-te! A vida são dois dias e um já passou. E há tanta coisa magnífica para se fazer, ver, ouvir, ler e visitar.

Por essas e por outras, há muito que deixei para trás as hipocrisias natalícias. A Consoada e 25 de Dezembro são passados apenas com pessoas de quem gosto genuinamente. As outras que se lixem...

BOM NATAL!!!! E ANIMA-TE!!!!


De Ricardo a 22 de Dezembro de 2007 às 19:50
Ora aí está um bom conselho para mim e para pessoal! Um que pretendo seguir!

Um abraço e bom natal para ti, luxxx!


De luxxx a 23 de Dezembro de 2007 às 19:43


Comentar post

Música da semana

Pesquisa

 
RSS