Domingo, 4 de Janeiro de 2009

Blockbusters 08: Wanted

 

Título Original: Wanted
Título Traduzido: Procurado
Ano: 2008
Duração: 110 minutos
Slogan: Choose your destiny. / Their world. Her rules. His destiny.
Escrito por Michael Brandt, Derek Haas e Chris Morgan
Realizado por Timur Bekmambetov
Elenco:
James McAvoy (Wesley Gibson), Angelina Jolie (Fox) e Morgan Freeman (Sloan)
 


Antes de começar esta análise propriamente dita, vamos dar uma vista de olhos aos factores exteriores à película em si. Como homem, ou rapaz, ou jovem, ou o que preferirem chamar nos dias de hoje a uma pessoa do sexo masculino com 18 anos, está nos meus genes gostar da Angelina Jolie. Não há nada a fazer. É impossível contrariar e inútil resistir. Sendo assim, compreendo o porquê de toda a campanha andar à volta dessa incontornável senhora, e o  porquê do personagem principal ser practicamente ignorado nos posters. E, como tal, sentia-me extremamente atraído por este filme. Foi muito bem publicitado. Adorei todos os trailers e mesmo depois de ver as críticas menos boas, não fui capaz de conter as expectativas. Não foi só a menina Jolie, foi tudo, a história, os personagens, as cenas de acção muito bem feitas. E as expectativas eram tão altas, que eu tinha a certeza absoluta que o filme não ia conseguir cumpri-las, e tinha razão. O filme não satisfaz as minhas altas expectativas, mas não deixa de ser um bom filme.

 


Wanted conta a história de Wes, um homem insatisfeito com toda a sua vida, sendo a consequência dessa insatisfação uma passividade para com todos à sua volta. Depois vem a Jolie, perdão, a Fox e ao revelar-lhe que é o filho de um ilustre membro de uma fraternidade de assassinos e assassino ele próprio, coloca a vida do rapaz de pernas para o ar. Mas não tomem a minha palavra como certa, vejam o trailer...



Tinha razão, não tinha? Mesmo bom. Avante. Wanted é um bom filme que perde por ter uma campanha publicitária boa demais e um filme que, apesar de bom, não cumpre as expectativas. No entanto, esse é um problema pessoal e vou tentar alhear-me a esse facto para o resto da análise.

 


O início é simplesmente espectacular. Quem não se consegue identificar com aquele tipo que está insatisfeito com a vida, tem um patrão daqueles péssimos, patroa neste caso, e simplesmente não consegue fazer nada para mudar a sua vida, problema que um grupo bem grande de seres humanos sofre, grupo esse nos quais me incluo, qual lei da inércia. Mas a teroria de Newton até encaixa bem neste caso, é necessário um acontecimento exterior ao indivíduo para o fazer mudar de direcção.

 

As narrações de Wesley são muito boas e dão um carácter pessoal ao filme (dejá vu, Veronica Mars). A banda sonora é muito boa. Os efeitos especias são óptimos. Podem não ser tão caros ou vistosos como, por exemplo, Iron Man mas são tão bem aplicados que fazem parte do filme. A realização é excelente, consequência dos factores que disse agora mesmo.

 


O grande problema do filme é o enredo. A história é boa, diferente e merecia ser adaptada. E eu não sei como era a Graphic Novel em que o filme se baseou, mas nota-se prefeitamente que o fim não resultou. Não sei se foi por ser muito fiél ao material original ou o contrário, mas devia ter sido mudado. O filme tem um ritmo muito elevado devido às (fantásticas) cenas de acção e, por esse facto, que seria excelente em qualquer outro filme, as personagens não provocam grande empatia no espectador. Devia ter sido investido mais tempo a aprofundá-las. São todas um pouco superficiais e, se ao início Wes é o tipo com que todos se conseguem identificar, com o fim do filme ele sofre um desenvolvimento imperceptível como personagem. O diálogo também não é muito bom. Cumpre a função, sim, tem alguns clichezitos no meio, tem, mas não é de qualquer forma memorável. Nem precisava, se o enredo fosse bom o suficiente para aguentar o filme. Mas não o é.

 

As interpertações são óptimas. Angelina representa muito bem o papel que lhe deram e fez espantosas cenas de acção como só ela sabe. McAvoy vendeu totalmente aquele acto de "rapaz sem talento que vira herói do destino". Enfim, a Angelina foi óptima e o James foi óptimo, mas os dois juntos simplesmente não me convenceu. Quer dizer, não é que eles não fiquem bem juntos, porque ficam, e os actores até tentaram convencer e mais não podiam fazer, mas simplesmente não tiveram tempo de ecrâ suficiente e o pouco que tiveram não foi usado convenientemente pois os diálogos não foram os mais indicados.

 


Resumindo, Wanted é um bom filme que cometeu alguns erros crassos. O ritmo alucinante é óptimo, mas prejudica a profundidade das personagens. O fim ficou totalmente fora do contexto. No entanto, vale a pena ver, porque há aspectos que realmente ficaram muito bem e embora não seja totalmente satisfatório, não é nem por sombras uma perda de tempo.

 

O bom:

  • As interpretações de Angelina Jolie e James McAvoy;
  • Os efeitos especiais;
  • O ritmo alucinante;
  • As magníficas cenas de acção.


O mau:

  • A falta de tempo de ecrâ (e diálogo) do par principal;
  • A falta de profundidade das personagens.


O vilão:

  • O fim.

 

Tags:

publicado por Ricardo às 12:47
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De luxxx a 5 de Janeiro de 2009 às 17:56
Gostei de "Wanted". Não quebra barreiras, não inova, não é uma festa de originalidade... mas diverti-me.

A parte do tear é um pouco imbecil. É Deus, ok?!?! Pode arranjar maneiras um pouco mais fáceis de comunicação com os seus seguidores. Por exemplo, basta colocar os olhos em Fátima e nos pastorinhos...



De Francisco a 26 de Julho de 2009 às 14:34
Eu como não tinha expectativas nenhumas até o aproveitei muito bem. Adorei as cenas de acção, para mim foi o melhor de tudo =)
Abraço


Comentar post

Música da semana

Pesquisa

 
RSS