Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

Eu caso-me com quem quiser!

Outro dia, os nossos excelentíssimos políticos (estou a ser sarcástico, sei que é óbvio, mas nestas coisas da escrita nunca se sabe) tiveram um debate. Debate esse que falava de homossexuais. Homossexuais esses que queriam casar. Casamento esse que, até agora, está restringido a casais heterossexuais. E não, não me venham com a definição de casal. Casal, "par composto de macho e fêmea". Não que eu tenha nada contra o dicionário, mas... as palavras mudam, a vida evoluí e a linguagem tem de a acompanhar e não o contrário. Mas não nos vamos perder em preciosismos.

E então foi assim. O Bloco e os Verdes pediram, o debate fez-se. Os atrasados, perdão, os da direita votaram não. E é claro que estou a chamar direita ao PS. Não que eu tenha nada contra a direita. Eu gosto da direita e do sistema capitalista. Não gosto é dos nossos partidos da direita.

Contudo, achei piada aos Socialistas. Qual foi a minha surpresa quando disseram que não! Do género: "Sim, somos totalmente a favor, mas não para já.", adoro a mentalidade portuguesa "Para o ano logo se vê...", mas os políticos não são burros, ou se são, são burros bem falantes e na língua deles é mais do género "(...) o tema não estava no programa eleitoral do partido, nem é uma prioridade neste momento.". Não é prioridade?!? Digam isso aos gays!

E mais curioso é que isto deixou de ser um debate muito simples para ser uma discussão de semântica e definições legais. "Casamento", "casal", implicações das palavras, consequências sociais e, mais inacreditável ainda, problemas de legislação. Só tenho uma resposta: 1) a legislatura adapta-se à realidade e não o contrário; (duas repsostas, pronto...) 2) se duas pessoas que pagam os impostos, que têm os mesmos deveres, não podem ter o direito mais básico do mundo? O de partilhar a vida com alguém? Mas isso incomoda alguém? Mas alguém tem a ver com isso? Mas é assim uma coisa tão absurda? Uma questão de gosto, uma questão escolha, uma questão de ser.

 

Para concluir, Srs. Homossexuais, se querem casar, por mim tudo bem. E se houver referendo, vou dar uma ajudinha. Porque simplesmente não vejo como pode ser de outra forma. Eu caso-me com quem quiser! (Dava um bom slogan, não?) Próxima debate: legalizar a prostituição, tal qual Red Light District. Eh eh eh! Pronto, isso é outra história, e uma que também dá pano para mangas...

sinto-me:

publicado por Ricardo às 22:26
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De luxxx a 23 de Outubro de 2008 às 00:30
Não há pior do que o centrão.

"Somos de esquerda? Somos de direita? Somos sociais-democratas? Somos adeptos do estado social? Somos pela economia neoliberal?"

Então com eleições à porta, nada como jogar pelo seguro, dizendo "não", mas simultâneamente "sim".

O PS no seu pior.

Já agora, sou de esquerda e obviamente que votaria "sim".


Comentar post

Música da semana

Pesquisa

 
RSS