Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

GTA IV à venda a 16 de Fevereiro... de 2008

Saio de um quarto cuja decoração interior me escapa e olho em volta: estou num shopping. Olho outra vez e não consigo acreditar. Quer dizer, supostamente estamos em Portugal. Então porque raio é que o centro comercial está forrado de publicidade ao recentemente lançado GTA IV?

Não acredito. Comento com os meus amigos e eles acham normal. Será que fui eu que perdi o juízo? E porque estou a falar de mim? Eu nem sequer gosto de o fazer. Mas estou deveras confuso. Deveras? Mas que raio! Estou muito confuso.

Vejo posters. Grandes, pequenos, médios, envidraçados, com desenhos do nada fotogénico Niko Bellic, raparigas não faltam e carros bons também não. Em que mundo estou eu?

Ando mais um pouco. Afinal, um acontecimento destes não pode nem deve passar sem ser bem analisado. Estudado até. Vejo uma fila ao longe. E quando chego lá...

Esquisito demais. Um homem careca a dar cópias da banda sonora do mais recente jogo da Rockstar. A dar! A quem? Ainda mais estranho. Estava uma fila perfeita (demasiado perfeita!) de casais apaixonados (síndrome do dia dos namorados?). Eles de cabelo castanho encaracolado e elas louras de cabelo ondulado. Todos de braço dado. Elas a queixarem-se pelo tempo à espera da compra (ou oferta, não prestei atenção ao acto, não estava sobre o meu controlo) e eles a dizerem que a espera só demorava "mais um bocadinho". Pura mentira. Mas não os censuro. Eu fazia o mesmo.

Digo que isto não está a acontecer. Não por o mundo ser excêntrico, mas por ter apenas 20€ na carteira e não poder comprar o jogo. Que pesadelo! E quando o sonho não nos está a agradar o que é que fazemos? Acordamos.

Este foi o meu sonho na noite de 16 de Fevereiro / manhã de 17. Teve tanto de bizarro como de adorável. Nunca tal me tinha acontecido. É daquelas coisas que nos apetece partilhar apesar de assustarmos os amigos que não dizem, mas pensam: "Estás louco?". Não entendo a razão de ser o GTA IV. Sinceramente, nem é dos jogos pelos quais mais anseio. Isto é das tais coisas que não lembram nem ao menino Jesus, mas, mais estranho ainda, é a sensação esquisita de saber que veio do meu subconsciente. E que extravagante que ele é.

PS: A técnica do beliscão não resulta.
sinto-me:
música: Amy Winehouse - Tears Dry On Their Own
Tags:

publicado por Ricardo às 21:11
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De luxxx a 21 de Fevereiro de 2008 às 12:59
Ah ah ah ah ah ah ah!!!!! Coisa mais linda, Rikardo!!!!



De Falk a 17 de Março de 2008 às 22:10
Quase me ia dar um ataque de coração quando vi o titulo....


Comentar post

Música da semana

Pesquisa

 
RSS